O que muda nos fluxos assistenciais hospitalares para minimizar o risco de transmissão da COVID-19 para pacientes e profissionais da saúde